Problemas com pé diabético? Conheça as causas

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define como pé diabético a “situação de infecção, ulceração ou também destruição dos tecidos profundos dos pés, associada a anormalidades neurológicas e vários graus de doença vascular periférica, nos membros inferiores de pacientes com diabetes mellitus” .As anormalidades neurológicas, mais conhecidas como neuropatia diabética, acontecem devido ao excesso de glicose circulante no sangue e resultam em perda da sensibilidade dos membros inferiores, principalmente os pés. A alta concentração de glicose no sangue também leva a problemas na circulação sanguínea, dificultando a chegada eficiente de sangue e nutrientes aos membros inferiores.

As feridas em pés de pacientes diabéticos geralmente são de difícil cicatrização. A alta concentração de glicose sanguínea ativa moléculas receptoras no exterior das células que induzem à inflamação. Quando este mecanismo atinge células da parede dos vasos sanguíneos acabam causando lesões que diminuem a eficiência dos mesmos em transportar o sangue para os tecidos, principalmente membros inferiores. Quando estas lesões atingem células próximas aos nervos periféricos o processo inflamatório gerado pode causar lesões nos nervos e danificar o transporte dos sinais nervosos.

Pequenas feridas nos pés de pacientes diabéticos podem se tornar um grande problema. Conforme falado anteriormente a alta concentração de glicose no sangue leva a neuropatia diabética e a problemas de circulação periférica, portanto ao se ferir a dor não será intensa, mesmo que a ferida seja grave, e além disso o fornecimento de sangue para o local também estará comprometido dificultando o recebimento de nutrientes pelos tecidos e reduzindo a multiplicação celular e a regeneração da lesão. Além disso, os pacientes diabéticos também são mais propensos a desenvolver infecções, que podem ser causadas por bactérias, fungos ou vírus. Em uma ferida que demora a cicatrizar as chances de ocorrer uma infecção são enormes e o diabético apresenta alterações em suas células brancas de defesa que causa dificuldades ao organismo em combater de forma eficiente as infecções. Tais fatores acabam agravando as feridas em pés de pacientes diabéticos, levando a comprometimento dos tecidos profundos e ósseo causando a amputação do membro.

No Brasil são registrados 55 mil casos de amputações anualmente em pacientes com lesões causadas por diabetes. Outro dado mostra que 20% das internações por diabetes são em função de lesões dos membros inferiores, e 80% das amputações não traumáticas acontecem por causa das feridas não cicatrizadas. Portanto o tratamento imediato das lesões em membros inferiores de pacientes diabéticos deve ser realizado imediatamente, para frear o avanço das lesões e evitar amputações.

Deixe o seu comentário