restrição alimentar dermatite
Categorias: Dermatite

Quem tem dermatite precisa restringir a alimentação?

15 de fevereiro de 2019 | escrito por

Se uma pessoa que tem dermatite atópica, mas não apresentou alergia a alimentos no teste RAST, pode ter os sintomas da doença piorados por causa da alimentação?

A dermatite atópica faz parte de um quadro de atopia, ou seja, de uma predisposição hereditária a alergias, e que pode se manifestar não só na pele, mas também nas vias aéreas. Aparecem rinite, sinusite, bronquite, entre outras inflamações. Não que a pessoa terá todas as “ites”, mas vale ficar atento aos sinais.

Quanto às alergias alimentares, somente o teste RAST (exame que identifica, pelo sangue, os alérgenos) não é decisivo. É preciso também o olhar atento do nutrólogo. Ele irá avaliar, para começar, a maneira como a pessoa se alimenta no dia a dia. O especialista pode fazer, por exemplo, uma experiência retirando certos alimentos aos poucos, como o leite de vaca. E se houver melhora significativa no problema, então, convém eliminar o alimento de vez e observar – sempre com a supervisão do médico.

Mas com alergia ou não, a dica é evitar a monotonia alimentar – ou seja, consumir sempre os mesmos alimentos. Do contrário, há o risco de falta ou excesso de nutrientes. O ser humano, diferentemente de outros animais, precisa de variedade para obter todas as vitaminas e minerais de que necessita. Daí a importância de um cardápio equilibrado.

Outro bom exemplo é o “famigerado” glúten. Pão no café da manhã, macarrão no almoço e torta no jantar é um exagero. O excesso, e não a alergia, pode ser o problema. Nesse caso, que tal alternar o pão com a tapioca pela manhã? Fica a dica!

O que evitar?

Para saber quais são os alimentos que devem ser evitados na dermatite, é preciso descobrir quais causam ou pioram seus sintomas. Para isso, não se deve comer um alimento durante 5 dias e verificar se a pele melhora.

Alguns dos alimentos mais comuns que podem provocar alergia são o leite, o ovo, o amendoim, a soja, o trigo, as nozes, o morango, o kiwi, o tomate, os frutos do mar, a ervilha, a lentilha, o feijão, a avelã ou a castanha-do-pará, por exemplo.

Além da alergia alimentar, a dermatite pode ter outras causas, como alergia a ácaros, pólen, poeira ou a algum tipo de tecido, por exemplo, por isso é importante fazer um teste de alergia para identificar qual o fator causador da dermatite.

Tome cuidado com a restrição alimentar


O papel das alergias alimentares e das dietas na melhora dos sintomas ainda não é conclusivo. Estudos mais recentes indicam que apenas um pequeno número de pacientes (aproximadamente 10% das crianças abaixo de 5 anos) pode se beneficiar com uma dieta de eliminação adequada. Portanto, não é justificável tratar crianças, por exemplo, com uma Dermatite Atópica leve com dietas de restrição, que podem, inclusive, levar a uma deficiência de nutrientes vitais, além de causar um distúrbio importante na rotina familiar.

Tags:

Últimos Posts

Pandemia impacta vida de pessoas com diabetes no Brasil, diz pesquisa
psoríase pandemia
Psoríase e outros problemas de pele durante a pandemia? Dermatologista dá dicas
Pandemia: Cientistas suspeitam que vírus pode desencadear diabetes e agravar quadros preexistentes