depilação diabéticos
Categorias: Diabetes

Diabéticos: atenção na hora de se depilar

7 de março de 2019 | escrito por

Quem tem diabetes sabe que deve ficar de olho na dieta para controlar a quantidade de açúcar no sangue. Mas essa não é a única mudança que a doença impõe à rotina. Devido ao alto nível de glicose circulante, a pele desses pacientes acaba perdendo um pouco de água para o resto do organismo e, assim, torna-se ressecada. Por isso, requer uma atenção especial – principalmente na hora da depilação.

De acordo com o endocrinologista Saulo Cavalcanti, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem), a derme do diabético também é menos elástica e mais fina. “Isso faz com que, diante de qualquer machucado, ela apresente uma cicatrização mais lenta. Além disso, há uma possibilidade maior de infecção por bactérias e fungos”, explica.

Sem falar que os vasos sanguíneos que irrigam a pele geralmente apresentam problemas causados pelo diabetes. Isso dificulta o fluxo de sangue, aumentando a possibilidade de alterações na derme – situação que também facilita o aparecimento de infecções. “A depilação de qualquer tipo pode causar microlesões na pele, desde pequenos cortes a queimaduras leves. O risco de os diabéticos terem uma complicação local é alto”, alerta o médico.

Por isso, é muito importante informar ao depilador sobre sua condição clínica e se hidratar bem antes. Segundo a esteticista e depiladora Luana Batista, o profissional deve escolher produtos que tenham a proposta de cuidar da cútis, como pré-depilatórios com ativos calmantes e ação analgésica, assim como ceras de baixa fusão para peles sensíveis. “Além de serem mais elásticas e cremosas, essas ceras têm mais aderência no pelo do que na pele”, justifica.

A especialista ressalta ainda que não há diferença nenhuma no processo de retirada dos pelos quando o cliente é diabético. Porém, para que sua pele não fique prejudicada, é crucial focar no pós-depilatório. “Nesse momento, a ação de géis e cremes específicos acalma e oferece uma ação hidratante, cicatrizante e anti-inflamatória”, informa Luana.

Saulo frisa que, apesar de esses cuidados todos serem necessários, a medida mais essencial é consultar seu médico para confirmar se você pode realmente se submeter à depilação – tudo vai depender como anda o controle do diabetes.

Fonte: https://saude.abril.com.br/bem-estar/diabeticos-atencao-na-hora-de-se-depilar/

Tags:

Últimos Posts

Cuidados com a tatuagem: higiene, alimentação e hidratação
Diabetes gestacional: quais são os riscos para mãe e para o bebê?
Não é só o que você come: relógio biológico também afeta diabetes