manchas pele psoríase melanoma
Categorias: Cuidados com a pele, Dermatite, Psoríase

Mancha na pele pode ser sinal de 6 doenças: como identificar e tratar cada tipo

14 de maio de 2019 | escrito por

O surgimento de manchas na pele não pode ser considerado apenas uma condição comum ao envelhecimento. As marcas, de diferentes tamanhos, aspectos e causas, devem ser avaliadas por um profissional de saúde, já que podem ser indícios de doenças graves.

Manchas na pele: causas

As manchas na pele podem aparecer em diferentes locais do corpo, se apresentar de diversas formas e ser causadas por uma grande variedade de fatores, que vão desde exposição excessiva ao sol e infecção fúngica até doenças mais sérias, como vitiligo e câncer.

Prestar atenção aos sintomas e procurar um dermatologista é fundamental para conhecer o diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado de acordo com a condição.

Vitiligo

Manchas brancas podem indicar vitiligo, uma doença caracterizada pela perda da coloração da pele. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, as lesões se formam devido à diminuição ou à ausência de células responsáveis pela formação da melanina nos locais afetados, que podem ser rosto e outras áreas do corpo.

As causas do vitiligo ainda não estão claramente estabelecidas, mas fenômenos autoimunes parecem estar associados à condição. A doença não tem cura, mas pode ser tratada: o paciente normalmente faz uso de medicamentos que induzem à repigmentação das regiões afetadas, como tacrolimus derivados de vitamina D e corticosteroides.

Melasma

Caracterizado pelo surgimento de manchas escuras na pele, o melasma é uma condição bastante comum, sem cura, mas que pode ser tratada.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, as manchas de melasma aparecem mais mulheres do que homens e, além dos fatores hormonais e da exposição aos raios solares, a predisposição genética também influencia em seu aparecimento.

O tratamento de melasma pode variar muito de acordo com as manchas e o histórico do paciente. As terapias vão desde cremes baseados em hidroquinona, ácido glicólico, ácido retinóico e ácido azeláico a uso de nutricosméticos e procedimentos como peelings e laser.

Pitiríase versicolor

A micose provocada por fungos é caracterizada por manchas brancas na pele que podem ser acompanhadas por descamação. A pitiríase versicolor pode ser tratada com medicamentos antifúngicos tópicos ou orais, indicados pelo dermatologista.

Leucodermia gutata

Também chamada de leucodermia solar e popularmente conhecida como sarda branca, a condição é caracterizada por manchas brancas, arredondadas e pequenas que surgem no rosto, antebraços e outras áreas que ficam muito expostas ao sol.

A condição é resultado do dano cumulativo causado pelos raios ultravioleta ao longo da vida. O uso de lasers, crioterapia com nitrogênio líquido e dermabrasão pode ser indicado parar o tratamento, que tem como objetivo recuperar a coloração da pele.

Psoríase

A psoríase ocorre quando há uma maior produção de células da pele do que o normal. Existem 5 tipos de psoríase, com características e sinais variados.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os sintomas de psoríase podem mudar de paciente para paciente, mas normalmente incluem: manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas, pequenas manchas brancas ou escuras, ressecamento da pele, além de coceira, queimação e dor.

O tratamento da psoríase pode ser tópico, com uso de cremes e pomadas aplicados diretamente na pele ou por meio de medicamentos em comprimidos ou injeções, dependendo do quadro.

Melanoma

Melanoma é um câncer de pele que se manifesta como uma pequena mancha escura, assimétrica e com bordas irregulares.

Segundo Aldo Toschi, diretor da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e coordenador da Equipe de Dermatologia do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC), esse tipo de câncer de pele tem incidência maior em pessoas com histórico familiar da doença.

O melanoma deve ser tratado sempre de modo cirúrgico e, algumas vezes, a cirurgia precisa ser ampliada com margens maiores. Isso é indicado para evitar a reincidência do tumor e/ou sua progressão para os linfáticos e outros órgãos do corpo, explica o especialista.

Fonte: vix.com

Tags:

Últimos Posts

8 sinais bem sutis que podem indicar que você tem diabetes
Excesso no uso de álcool em gel pode causar dermatite nas mãos
Pandemia impacta vida de pessoas com diabetes no Brasil, diz pesquisa